A disponibilidade desse espaço foi idealizada com a intenção de disseminar e trocar informações e ideias referentes aos temas Desenvolvimento Humano e Gestão de Pessoas, criando um local de discussão sobre questões de mercado de trabalho e a realidade vivida na gestão empresarial, além de oportunizar a divulgação de eventos diversos sobre temas relacionados aos assuntos tratados no blog.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Julho é um mês que inspira a ideia de férias...



Fonte: Blog do Galhardo

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Sobre Escolhas e Humor




Em minha vida profissional, ingressar no universo corporativo não aconteceu por obra do acaso; durante a formação acadêmica decidi deliberadamente que atuaria na área organizacional (atuação liga às empresas), confesso que inicialmente incentivada pela ilusória segurança que a estabilidade financeira me traria. Eu desejava antes atuar na área clínica, mas era indispensável produzir meu próprio sustento e sabia que até construir uma clientela haveria um tempo a ser transcorrido e foi isso que me direcionou as empresas.

Passada a inocência da fase inicial, não demorou muito e descobri que essa decisão poderia ser tão difícil quanto àquela outra opção, mas que seria desafiador, surpreendente e muito divertido. E essas descobertas foram me conquistando até que reconheci ter permanecido atuando nesse universo por absoluta escolha, e por que não dizer, por completa paixão.

Lidar com o coletivo e no contato direto com pessoas permite um trânsito contínuo entre, digamos assim, o céu e o inferno, e em ambos os lugares é possível encontrar conflitos, mas também aprendizado e bom humor; obviamente, isso depende da perspectiva de visão de cada um.  A meu ver, bom humor é sinal de saúde emocional e bom uso da inteligência, além disso, é uma característica bastante desejada em qualquer tipo de relacionamento, inclusive nos profissionais e por isso, observada e valorizada nas relações de trabalho.

No mais, fiz, ao longo dessa jornada, mais uma grande descoberta, a que definitivamente soterrou ilusões e diluiu minha inocência – trabalhar em empresas não trás estabilidade, pois frente a qualquer turbulência financeira do negócio, sabe o que fazem, infelizmente, muitos empregadores? “Cortam” ações na área de RH, e depois, se a turbulência não passa, sabe o que acontece? “Cortava-se” o RH.  E digam que frente a isso não é preciso paixão e bom humor?

Que fique claro isso não é uma queixa, somente relato do que assisti; acredito mesmo que nos últimos tempos muita coisa mudou, as empresas aprenderam mais sobre a importância da Gestão de Pessoas e os gestores de RH aprenderam a ser menos subjetivos e demonstrar resultados de modo mais concreto, alinhando seu discurso e ações às estratégias das empresas, enfim, muitas mudanças positivas já ocorreram e outras estão em andamento.

O que tenho certeza que não mudou foi minha paixão por esse trabalho e a lista de fatos e circunstâncias, algumas inacreditáveis, que me desafiam, me surpreendem e me fazem rir, muito...




domingo, 1 de julho de 2012

Empresas de Curitiba discutem como atrair, desenvolver e reter talentos


Em 29/06/2012
A mescla de gerações dentro das empresas foi um dos pontos abordados no encontro, realizado pelo IEL Paraná com empresas de Curitiba
Objetivo é estimular a troca de experiências e disseminar boas práticas
A estratégia das empresas para atrair, reter e desenvolver talentos foi o tema do “Diálogo para o Futuro”, um talk show realizado pelo IEL Paraná nesta quarta-feira (27), com profissionais da área de Recursos Humanos de empresas de Curitiba. A forma como lidar com a mistura de gerações, especialmente com os jovens profissionais – a chamada geração Y- foi um dos pontos destacado no encontro, realizado na unidade do Sesi na CIC.
Os representantes das empresas Radiante, Positivo Informática e Landis+Gyr foram convidados a falar sobre suas práticas, como ponto de partida para o diálogo, com a participação de outras empresas, de representantes de universidades e da gerente executiva do IEL-PR, Vanusa Vilarinho, além de profissionais do IEL, do Sesi e do Senai-PR. A mediação foi do representante do IEL Nacional, Ricardo Romeiro. A jornalista Adriane Welter atuou como facilitadora.
Na Landis+Gyr, empresa incluída por dez anos consecutivos “nas cem melhores para se trabalhar” (pesquisa da Revista Exame) a forma de lidar com os jovens é o diálogo. “Conversamos muito com eles, a fim de lhes dar uma visão melhor da realidade de uma empresa e tirar um pouco da pressa que  têm, fazendo-os entender que as coisas acontecem na hora certa”, disse o gerente de RH, Luiz Carlos Barchechen.
Para Jedalva de Oliveira, coordenadora de RH da Radiante, a retenção de talentos é o grande desafio. A empresa, do setor de engenharia e telecomunicações, precisa de pessoal operacional específico, dificilmente disponível no mercado. “Nós formamos talentos dentro da empresa e, para retê-los, atuamos muito de perto, falando a mesma linguagem, oferecendo cursos e treinamentos”, disse ela. Segundo Jedalva, a qualidade devida no trabalho é essencial. “Fizemos um trabalho com o Sesi nesta área, que teve impacto muito positivo entre os colaboradores”, contou.
Na opinião de Berchechen, reter talentos é resultado do conjunto de ações que formam a política da empresa para seus colaboradores. “É preciso ter um ambiente bom para trabalhar, estimular a qualificação, propiciar qualidade de vida no trabalho e ser parceira do colaboradores nos seus projetos de autodesenvolvimento”, disse ele.
Realizado com o apoio do IEL Nacional e da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-PR), o Diálogo para o Futuro já aconteceu em Londrina e Maringá e, após Curitiba, segue Ponta Grossa (9 de julho), Cascavel e Francisco Beltrão (11 e 12 de julho).
“O objetivo é proporcionar troca de experiências entre as empresas”, disse a gerente executiva do IEL-PR, Vanusa Vilarinho. “Queremos com esse diálogo, estimular reflexão sobre a gestão de pessoas, que são o principal ativo de uma empresa, e também mostrar a importância da formação de bancos de talento, que possam suprir as demandas da organização”, disse ela.
_________________________________________________________________________

*** E QUANTO A VOCÊ CARO(A) GESTOR (A), O QUE ANDA FAZENDO PARA RETER OS TALENTOS DE SUA EMPRESA?